segunda-feira, 24 de junho de 2013

1 ano de muito movimento

Caminante, son tus huellas
el camino y nada más;
Caminante, no hay camino,
se hace camino al andar.
Al andar se hace el camino,
y al volver la vista atrás
se ve la senda que nunca
se ha de volver a pisar.
Caminante no hay camino
sino estelas en la mar.

Antonio Machado

Agora, entramos na fase dos posts de 1 ano, embora ainda tenha muita coisa atrasada na fila... (Não vou esquecer os assuntos passados, afinal minha mega listinha não me deixa. Não sei como não nasci virginiana... Ainda bem!)

Mas a questão é que, de repente, não mais que de repente, o bebê cresceu. Marina nunca foi um bebê agitado, daqueles que viram, reviram, mexem, remexem, querem sair do lugar e tal. Ela demorou a virar e a engatinhar. Aí, um dia, começou a se arrastar de bundinha. Era uma graça, igual um sirizinho. Aí, logo depois, começou a querer andar. Se agarrava na mesa, no sofá, no dedo (um só!), na parede, no tivesse por perto e saía passeando, pé ante pé. Outra graça! Aí, quase no dia seguinte, deu dois passinhos na minha direção antes de se jogar nos meus braços, ou melhor, antes de despencar de cara no chão e ser resgatada pelas mãos da mamãe. Aí, veio escrito na agenda que ela deu dois passinhos. (Ainda bem que já tinha acontecido comigo antes!) Aí, ela se soltou. Já vai do sofá para a mesa, da mesa para as cadeiras, da cama para o puff, tudo sozinha. Quanta graça! E agora, depois de estar quase andando sozinha, não é que a gatinha resolveu começar a engatinhar, de joelho no chão e tudo? Mas a arrastação de bundinha também continua. E ela está crescendo e amanhã já vai rodar a casa toda sem precisar se segurar em nada.

video

Nenhum comentário:

Postar um comentário